Rastros

[Foto: André L. Soares].

.

.

RASTROS
(Rita Costa)
.
Percorro as palavras
de um emaranhado mistério
e elas invadem minha alma,
deixando rastros
em meus pensamentos.
.
E eu,… atrevida,
não delimitando o perigo,
as sigo… e sinto!
Sou tomada pela noite
que me acolhe
e me faz engolir suspiros…
.

.

.

Leia também:

Alma de Poesia /Gritos Verticais /Natureza Poética /O Poema de Cada Dia /Poética Herética /Raiz de Cem /Sons de Sonetos

About these ads

21 Respostas para “Rastros

  1. Lindo poema amei, abraço e namastê

  2. lindo, um poema muito sensual,parabéns

  3. SAUDAÇÕES!
    Que poema belíssimo!
    Nas linhas desta fascinante poesia reside o mistério da leveza!
    Parabéns!
    LISON.

  4. A sensualidade falou bem alto neste poema.
    Abraços forte

  5. Meus parabéns pelo lindo poema.Gostei muito dele, em especial do final “Sou tomada pela noite que me acolhe e me faz engolir suspiros” …notável.
    bjs

  6. Rita,

    Que delícia não ter que ‘pensar’ sentimentos, apenas seguir a intuição. Amei o poema.

    Beijocas

  7. Parabéns, Rita!
    Lindo, leve e sutilmente sensual…
    Beijo

  8. uauuu Ritinha… as palavras realmente nos embalam, nos envolvem, mas tambem podem nos denunciar!

  9. palavra é ponte e rio…

  10. I don’t know If I said it already but …This blog rocks! I gotta say, that I read a lot of blogs on a daily basis and for the most part, people lack substance but, I just wanted to make a quick comment to say I’m glad I found your blog. Thanks, :)

    A definite great read..Jim Bean

  11. oiee, estou fazendo uma visita em alguns blogs e achei esse mto legal, vc está de parabéns!!
    aqui estou criei meu blog a pouco tempo e gostaria que quem pudesse fazer uma visitinha lá, desde já já agradeço!!!

    http://diversascoisas.teenbloguer.com

    bjus e mto obrigada!!

  12. É bom ter palavras como companheiras, mesmo que, por vezes, sejam fugazes ou atrevidas. Que seria de nós sem elas, e que seria delas sem nós?

  13. Muito bonito o poema

  14. Fabio Padrone

    Mordaz

    Ao amor dá-se a vida
    E tudo mais que venha
    A calar o peito.

    E no viver aprender
    Atos e olhares,
    Suspensos a emoções.

    À tarde mãos e risos,
    Sustentam-se idéias,
    De noturnos momentos.

    Acerca de olhares,
    Ainda que distantes,
    Delimitam e imobilizam.

    E neste cálice
    Incontinente
    Bebe-se constante
    O fel
    Do céu da boca.

    © Fabio Padrone

  15. Pingback: Rastros (via O Poema Nosso…) « LarisSantana

  16. eu gostaria de fazer uma parceria com vc, ,assim que vc colocar o meu link no seu site vc avisa que eu coloco o seu,obrigado

  17. Que belo poema …
    publicação bom!

  18. que legal.

  19. Parabéns demais….vc é muito criativa Rita!

  20. Muito bonito, simples e bonito. Gostei! É o estilo que tento seguir. Veja este simples e profundo, que fiz: http://asoutrasfaces.wordpress.com/2012/05/06/um-dia-ela-chega-mas-hoje-nao/

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s